Fortalecer as manifestações de 07 de junho

A sociedade brasileira convive com uma crise social, política, econômica e sanitária de dimensões bíblicas. Neste contexto, tem curso um movimento golpista autoritário-fascista comandado por Bolsonaro.

O Golpe de Estado de 2016, travestido de impeachment, está em aprofundamento, mantendo o ataque aos direitos sociais e trabalhistas e à representação política dos trabalhadores. Trata-se de um movimento político regressivo continuado, capaz de metabolizar “golpes dentro do golpe”, seja na forma da interdição da candidatura do ex presidente Lula mediante ação jurídica persecutória, condenação e interdição do direito de disputar a eleição presidencial de 2018, seja na criação de um contexto que possibilita um golpe político de extrema direita.

Há dois projetos burgueses que disputam o direcionamento do Golpe de Estado de 2016, no que tange ao regime político que será montado sobre as ruínas da Nova República e da Constituição de 1988: o projeto que propõe um regime liberal representativo esvaziado de liberdades e direitos; e o projeto que defende um regime autoritário-fascista ainda mais radical nesses propósitos. Portanto, em pese diferenças, encontram-se unificados no intento de restringir in extremo os direitos sociais e a representação política da classe trabalhadora e das camadas populares.

O país se encontra sob “Estado de Exceção”, com o embate entre as duas perspectivas burguesas em torno da definição do caráter do regime político. Daí aspectos como instituições nacionais insuladas (STF) ou praticamente imobilizadas para resistir ao golpe autoritário-fascista em andamento (Congresso Nacional), enquanto corporações do Estado colaboram (PGR) ou sustentam (Forças Armadas) o referido golpe.

A derrota do golpe autoritário-fascista em andamento assumiu centralidade na conjuntura. Mas essa centralidade não pode redundar na submissão do campo de oposição de esquerda aos limites propostos pela oposição que determinados setores burguesas assumem em relação a esse golpe, posto que, como apontamos, este limite é a democracia liberal representativa esvaziada dos direitos sociais/trabalhistas e de representação política da classe trabalhadora e camadas populares.

O PCB-GO defende que a derrota do golpe autoritário-fascista e a defesa das liberdades democráticas é condição necessária para alterar a correlação de forças políticas e sociais em favor dos trabalhadores e camadas populares. Todavia, isto somente será possível com a independência de classe, a criação de frente ampla que não contemple forças políticas que impetraram o Golpe de Estado de 2016 e a defesa de um programa de emergência que passe pela imediata revogação das contrarreformas que aniquilaram direitos sociais e trabalhistas.

O PCB-GO apoia as mobilizações antifascistas que estão emergindo pelo país, inicialmente porque tem compromisso com a defesa das liberdades democráticas, a resistência ao movimento golpista autoritário-fascista conduzido por Bolsonaro e o combate ao racismo estrutural da sociedade brasileira. Mas também por compreender que iniciativas como manifestos e pressões sobre parlamentares, embora importantes, não são suficientes. O protagonismo popular nas ruas é fundamental para derrotar o golpe autoritário-fascista em curso e preparar a contra-ofensiva para a defesa dos nossos direitos.

O PCB-GO apoia as manifestações do dia 07 (domingo) de junho em Goiás, bem como defende que se constituam em instrumento de politização dos trabalhadores. Para tanto, devem ser manifestações pacíficas, que não caiam na provocação da polícia e de agentes infiltrados nas manifestações, bem como que não confrontem com grupos e milícias bolsonaristas, que amadureçam um programa com bandeiras e objetivos claros, superando o espontaneísmo com a preservação de sua espontaneidade.

Recomenda aos participantes que façam uso de máscara e de álcool gel, e que mantenham 2 metros de distância entre manifestantes. Recomenda também a não participação nas manifestações de quem possua comorbidades ou que tenha familiares que as possua.

POR UMA POLÍTICA QUE DÊ CONDIÇÕES À TRABALHADORES E TRABALHADORaS A PARTICIPAR DO ISOLAMENTO SOCIAL!

A VIDA VEM ANTES DO LUCRO!

Derrotar o golpe autoritário-fascista para deter maior retirada de direitos, a repressão e o obscurantismo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s