O QUE É O PARTIDO COMUNISTA?

À primeira vista, naturalmente, surge a ideia de que aprender o comunismo é assimilar a soma de conhecimentos que se expõem nos manuais, brochuras e trabalhos comunistas. Mas isso seria definir de um modo demasiado grosseiro e insuficiente o estudo do comunismo. Se o estudo do comunismo consistisse unicamente em assimilar aquilo que está exposto nos trabalhos, livros e brochuras comunistas, poderíamos obter com demasiada facilidade exegetas ou fanfarrões comunistas, o que muitas vezes nos causaria dano e prejuízo, porque esses indivíduos, depois de terem aprendido e lido aquilo que se expõe nos livros e brochuras comunistas, seriam incapazes de combinar todos esses conhecimentos e não saberiam agir como o exige realmente o comunismo.”

V. I. Lênin

Ilustração feita por Tamara Neres

O nome “Partido Comunista” tem origem no Manifesto do Partido Comunista de 1848, de Karl Marx e Friedrich Engels. Todavia, o primeiro partido a adotar o nome de Partido Comunista foi o Partido Operário Social-Democrata Russo em seu VII Congresso, ocorrido em 1918, um ano após a Revolução Russa de outubro, quando passou a se chamar Partido Comunista.

A partir da realização do I Congresso da Internacional Comunista, ocorrido entre 02 e 06 de marco de 1919, a denominação passou a designar uma diversidade de partidos que se formaram a partir da ala esquerda dos partidos operários sociais-democráticos na Europa, ou a partir de movimentos de esquerda não necessariamente organizados nesses partidos políticos. O Segundo Congresso da III Internacional Comunista, ocorrido entre 19 de julho e 07 de agosto de 1920, determinou que todos os partidos a ela filiados deveriam adotar a sigla Partido Comunista.

Sob influência da Revolução Russa de Outubro de 1917, da recém-criada III Internacional Comunista e das obras de Lênin, foi criado o PCB em 1922, como o primeiro partido de extração social operária formado na sociedade brasileira e que se definia formalmente como partido comunista. Diferentemente dos processos de formação dos Partidos Comunistas na Europa, o PCB se formou a partir de militantes oriundos do movimento anarquista, em um contexto carente de uma tradição política e teórica marxista.

Feita essa breve introdução histórica, passamos a assinalar as referências e princípios teóricos basilares para o método de análise utilizado pelo Partido Comunista. A começar pelo marxismo, utilizado para a investigação do capitalismo, da formação histórica e social da realidade em sua conjuntura. Tal método de análise parte de uma perspectiva crítica, tendo como referência e pressuposto filosófico de entendimento das relações sociais e dos desdobramentos que essas relações exercem sobre todo o conjunto da existência humana: o materialismo dialético.

O Partido Comunista também tem como referência a estrutura partidária e a forma de ação política, retratados no modelo leninista de organização. Esse modelo está bem delineado nas obras Que Fazer? (1902) e Um Passo a Frente, Dois Atrás (1904), no qual Lênin expõe de modo didático as principais e necessárias características do Partido Comunista. Partido que deveria estar à altura da organização da classe trabalhadora, da disputa e da conquista de espaços de organização independentes e autônomos de classe e da subversão da ordem burguesa, sem se submeter e iludir com as soluções parlamentaristas e de outras formas institucionais criadas pela sociabilidade capitalista e burguesa.

Dentre as características do modelo leninista de organização é importante destacar três:

1 – O princípio de organização e ação coletiva, pautado pelo Centralismo Democrático.

2 – A organização dos quadros partidários com três funções básicas: Propaganda, Agitação e Organização. Funções estas que deveriam estar coordenadas de modo a se complementarem.

3 – O engajamento do Partido Comunista com a organização da classe trabalhadora e a perspectiva de ruptura revolucionária com o modo de produção capitalista. Esse engajamento do Partido e liderança do proletariado não seria apenas no âmbito nacional, mas também internacional, pois o sistema de produção capitalista transcende os limites nacionais e étnico-raciais, submetendo os trabalhadores(as) em todo o mundo a uma mesma situação de classe social explorada, dominada e oprimida pela ordem do Capital.

O Partido Comunista deveria estar na vanguarda da luta e dos interesses históricos da classe, o que não significa que seria o único a lutar contra o sistema de produção capitalista e seus governos, nem tão pouco assumir uma postura autoproclamatória ou desvinculado das massas como se fosse um iluminado dono da verdade.

A finalidade de um Partido Comunista é a transformação radical da sociedade atual, ou seja, a substituição do sistema capitalista pela sociedade socialista na perspectiva da construção de uma sociedade comunista, ou como Marx a chamava: “sociedade de livres produtores associados”.

Dito isso, o Partido Comunista é uma organização formada por militantes que atuam em seus locais de trabalho, estudo ou moradia, que lutam por uma transformação radical da sociedade, pelo fim da atual exploração e opressão, e em defesa de uma sociedade igualitária, com participação dos trabalhadores nas decisões políticas, econômicas, sociais e culturais através de uma verdadeira democracia de base, numa sociedade onde o trabalho não signifique exploração, mas sim desenvolvimento social e humano. Ou seja, nós, comunistas, lutamos pela construção de uma nova sociedade, uma sociedade socialista!

Para conquistar esses objetivos, o Partido Comunista busca contribuir na construção de instâncias de organização da classe trabalhadora, já que sem a exploração e opressão dos trabalhadores (aqueles que tudo produzem) é impossível manter o sistema capitalista. Portanto, o Partido Comunista deve ser um partido voltado à elevação da consciência de classe dos trabalhadores, para sua organização em torno de lutas concretas que permeiam o dia a dia do trabalhador, de forma a cooperar para que os trabalhadores atuem de forma independente e autônoma. Portanto, os comunistas, lutam pela constituição de uma hegemonia político-cultural proletária, construída a partir de um programa político que oriente a luta dos comunistas e todos aqueles que lutam por uma revolução social.

Nesse sentido, o Partido Comunista busca, entre outros objetivos, superar a organização institucionalizada e fluida da classe trabalhadora, bem como superar os marcos dos interesses e lutas puramente imediatas, economicistas, corporativos, compreendendo, assim, que a miséria de um trabalhador é a miséria de todos, e que não é possível superar a nossa atual situação enquanto classe sem que procuremos compreender e agir sobre a raiz de nossos problemas. Para tanto, apenas a compreensão global de nossa realidade, pode estabelecer as condições para uma verdadeira revolução social! Esse é o papel do Partido Comunista.

INDICAÇÕES DE LEITURAS:

“O Manifesto do Partido Comunista”, Karl Marx e Friedrich Engels;

“Elementos Para uma Leitura Crítica do Manifesto Comunista”, José Paulo Netto;

“Princípios Básicos do Comunismo”, Friedrich Engels;

“As Tarefas das Uniões da Juventude”, V. I. Lênin;

“O Que Fazer?”, V. I. Lênin;

“Um Passo em Frente Dois Passos Atrás”, V. I. Lenin.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s