Pela Construção de uma Frente em Defesa das IPES de Goiás

NOTA DA UNIDADE CLASSISTA E UNIÃO DA JUVENTUDE COMUNISTA DE GOIÁS

Militantes da Unidade Classista (UC) e da União da Juventude Comunista (UJC) de Goiás participaram, na última quarta-feira (03/03/2021), de reunião com vista à construção de uma frente em defesa das instituições públicas de ensino superior (IPES) de Goiás. Reitores, bem como militantes de outras organizações e entidades sindicais e estudantis também se fizeram presentes. Efetivamente, trata-se da defesa das Universidades Federais de Goiás (UFG), Catalão (UFCAT) e Jataí (UFJ), dos Institutos Federais de Goiás (IFG) e Goiano (IF Goiano) e da Universidade Estadual de Goiás (UEG).

Os ataques que as IPES estão sofrendo se desdobram em diversas direções, como: i. Ataques à autonomia institucional; ii. Cortes brutais nas verbas destinadas à manutenção e investimento; iii. Restrição dos recursos voltados para a manutenção de bolsas estudantis; iv. Interdição de processos democráticos de escolha dos seus dirigentes; v. Intimidação quanto ao exercício de pensamento crítico nas IPES e; vi. Intensificação do trabalho e contenção salarial dos seus servidores.

A construção de frentes de defesa das IPES está em curso nos mais diversos estados do país. Dentre as pautas gerais, que unificam as representações e orientam as frentes, pode-se destacar a defesa da autonomia institucional, a garantia dos recursos econômicos necessários e a preservação dos processos democráticos nas IPES. Mais imediatamente, é urgente que as entidades e gestores das IPES envolvidos com a construção dessa frente estejam integralmente envolvidos na defesa das bolsas estudantis e da vacinação gratuita de todos/as pelo SUS.

Na perspectiva dos militantes da UC e da UJC, em que pese a compreensão do caráter amplo de uma ‘frente’ com essas características, é importante que a sua atuação não se restrinja às articulações e pressões sobre parlamentares, ou à ocupação de espaços nas mídias convencionais e alternativas para denunciar os ataques que as IPES sofrem. Para além dessas e de outras iniciativas, é imprescindível que o debate acerca do papel e da necessidade da defesa das IPES chegue às amplas camadas populares. Num contexto em que as diversas frações do capital, compromissadas com os efeitos nefastos da integração liberal periférica da sociedade brasileira e também com as reformas da globalização neoliberal, que concorrem para processos como a desindustrialização do país e  o avanço de forças autoritário-fascistas no Estado e na sociedade, fica evidente que a defesa das IPES tem que ser alcançada por meio do engajamento da classe trabalhadora no processo de lutas. Disso também decorre a necessidade de abrir mais intensamente as IPES às demandas populares, aproximando-as da perspectiva de universidade popular.

Universidade popular na defesa intransigente do caráter público da educação contra suas deformações mercantilizantes e privatistas que estão em curso. Universidade Popular na construção do Poder Popular!

Fora Bolsonaro-Mourão!

Vacinação para todas e todos já!

Em defesa de uma Universidade Popular e do Poder Popular!

UC/GO e UJC/GO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s